Quem conhece diz que a vista do Morro da Coroa é sem dúvidas o cartão postal de Floripa. Bem, eu estive lá para conferir esse fato e posso te dizer que quem diz isso tem toda razão.

O lugar é paradisíaco minha gente, mas claro, chegar lá não é tarefa fácil.

Hoje já é mais fácil fazer essa trilha porque o caminho até a praia é todo sinalizado e organizado. Você pode fazer essa trilha sozinho (nunca indicado), com seus amigos ou com os grupos de trilha da ilha, têm vários grupos que fazem essa trilha.

Se você for no verão terá a vantagem de poder tomar um delicioso banho de mar de recompensa, mas passará muito calor pois a trilha é cansativa. Se você for no inverno, não poderá se beneficiar desse banho pois a água estará muito gelada mas se o dia estiver aberto, além da vista incrível que terá com aquele lindo sol de inverno, você cansará bem menos por conta da temperatura.

COMECE CEDO!

A trilha é longa, e dividida em 2 etapas. Você pode ir até a praia apenas que já é um lindo presente, ou da praia subir o famoso Morro da Coroa. Então sugiro que comece muito cedo para que retorne da trilha antes de escurecer.

COMEÇO DA TRILHA

Tem 2 jeitos de chegar até a Lagoinha do Leste, ou pela praia do Matadeiro ou pela praia do Pântano do Sul. Eu fiz pelo Pântano do Sul então será sobre esse trecho que falarei.

Chegue na igrejinha do Pântano do Sul (no GPS poderá colocar BAR DO ARANTE ou pegar um ônibus para o Pântano do Sul e pedir pra descer na igrejinha) e a rua que você pegará para o início da trilha fica bem próximo (pergunte para qualquer local na rua que eles te informarão). A entrada da trilha é sinalizada e ali você começa sua jornada em busca do paraíso perdido. Por favor, leve água suficiente, na praia você encontrará um pequeno barzinho que só aceita dinheiro mas vai que ele está fechado você fica sem ter onde comprar, também leve comida pois não encontrará isso por lá.

O tempo até a praia é relativo, depende da sua velocidade. Eu levei algo em torno de 1 hora e meia para chegar, estava em um grupo grande com vários níveis de dificuldade.

Chegando na praia, nossa turma com o guia, fomos dar uma volta para conhecer toda a praia, a lagoinha e admirar a bela paisagem do lugar.

Demos uma descansada, comemos alguns lanchinhos e seguimos ao Morro da Coroa. É fácil avistar, pois provavelmente você avistará pessoas lá em cima ou subindo. Não tem erro!

A subida foi o grande desafio. O morro é muito alto e íngreme, você precisa ter muito cuidado pois tem que literalmente se agarrar nas pedras para subir. É cansativo, é desafiador, dá medo mas tem uma frase que eu amo que não me lembro o autor que diz “você terá a vista da montanha que subir”, foque apenas no presente que receberá quando chegar ao topo. Apesar do nível hard de dificuldade, já vi muita senhorinha subindo então se você tem menos de 60 anos, não tem desculpa.

Ao chegar ao topo você terá uma infinidade de ângulos para as mais belas fotos. Entre na fila da disputada foto na Pedra do Surfista, medite olhando o horizonte infinito do mar, perceba a divisão da praia com a lagoinha e agradeça a Deus por estar vivendo esse momento.

Conheça mais trilhas em Florianópolis

A VOLTA

Como fomos com um guia, voltamos por uma trilha do Morro da Coroa direto ao final da trilha, para ganhar tempo, mas a trilha não é sinalizada então se você está indo sem guia, deverá descer novamente o Morro da Coroa como fez para subir, e retornar pela trilha sinalizada. Calcule seu tempo versus seu cansaço para não correr o risco de estar na trilha quando escurecer.

ATENÇÃO TURISTAS

Já ouvi relatos de pessoas que viram aranhas e cobras, normal, afinal é uma mata, então todo cuidado é pouco. Atenção sempre, sapatos fechado, calça e tudo que for possível para se proteger. Atenção onde senta e coloca as mãos.

Também já ouvi relatos de assaltos principalmente a turistas sozinhos, por isso a melhor solução é sempre ir em grupos ou com guias para não se tornar um alvo fácil. O local é deserto, muito fácil de acontecer esses incidentes que podem acabar com seu passeio.

Bom passeio e me mande fotos!


Se teve algo que eu não falei e você gostaria muito de saber, só me mandar um e-mail: contato@viajantesemfrescura.com